Fábio Porchat defende humor e repudia ataque à sede do Porta dos Fundos

Fábio Porchat
Fábio Porchat se manifesta em artigo sobre atentado ao Porta dos Fundos (Imagem: Reprodução / Instagram)

Fábio Porchat se manifestou em um artigo para o jornal O Globo sobre o ataque à sede do Porta dos Fundos, ocorrido na madrugada do dia 24, véspera do Natal. Nesta segunda-feira (30), o humorista foi contra uma parte dos religiosos que não admite piadas com religião.

Sinto lhe informar, mas com religião se brinca sim. Com qualquer uma. Se brinca com religião, com futebol, com política, com a minha mãe, com o Detran, com o que você quiser“, argumentou.

Segundo Porchat, suas afirmações foram baseadas na Constituição Brasileira. Entendido do assunto, ele deu uma aula aos críticos: “Satirizar a Bíblia, olhe só, não é contra a lei. Chutar a Nossa Senhora é contra a lei. Depredar centros de umbanda é contra a lei. Dizer que você tem que parar de tomar remédio e só quem cura é Deus é contra a lei“.

O exemplo chegou no ataque que a produtora sofreu há quase uma semana. “Jogar coquetel molotov em uma produtora porque não gostou do que ela produziu é contra a lei. E, veja, brincar com a imagem de Deus não é intolerância. Intolerância é não querer deixar que brinquem“, explicou.

O apresentador do GNT defendeu o livre arbítrio. “Como você leva a sua vida é problema seu; como eu levo a minha, meu. Até porque o que é sagrado para você, não é para mim e vice e versa. Sátiras são fundamentais para que uma sociedade democrática (como, por acaso, ainda é o Brasil) possa rir de si mesma“, afirmou.

No ar com especiais do gênero desde 2013, um dos seus fundadores questionou o motivo que levou parte do público ao nível de críticas que foi visto em 2019, antes de rogar: “Viva o humor! Viva a liberdade de expressão! Viva a tolerância! E, por que não, viva Jesus!“.

A produtora Porta dos Fundos fica localizada no Humaitá, Zona Sul do Rio de Janeiro. Ela foi atacada com coquetéis-molotov por pelo menos quatro suspeitos que estão sendo investigados pela 10ª DP do Rio de Janeiro. Apesar do ocorrido, o grupo e a Netflix já acertaram uma nova produção para 2020.

Carregar Mais Notícias