Filho de Gusttavo Lima esbanja fofura ao comer frango

Filho de Gusttavo Lima esbanja fofura ao comer frango

Depois de passar o réveillon longe dos filhos, Gabriel e Samuel, que ficaram com a avó materna enquanto ele trabalhava, Gusttavo Lima dedicou-se integralmente aos meninos, na casa em que moram, em Goiânia. E na quinta-feira (2) Andressa Suíta, mulher do artista, registrou em seu Instagram Stories vários momentos da família.



Um deles se destacou. O sertanejo e o filho mais novo do casal, Samuel, de um aninho, se esbaldaram em um prato de galinha caipira com quiabo.

"Ô filhinho de papai! Gente, a mamãe não é muito fã de frango caipira, não, mas esse aí puxou papai! Tadinho, não está conseguindo morder. Tira um pedacinho e dá pra ele!", disse a loira.

Enquanto o menino mastigava, ela continuou.

"Filho, tá gostoso? Ai, que delícia!", disse a mãe coruja.

 

Gabriel capricha no inglês

O casal, que ainda tem o primogênito Gabriel, de 02 anos, costuma passar ótimos momentos em família e sempre registram nas redes sociais.

No mês passado, Andressa postou em suas redes um lindo momento de Gabriel falando em inglês. Nas imagens o menino aparecia contando os números.

"Gabriel já está sabendo contar em inglês mais do que eu", chegou a escrever ela.

Tatuagem em homenagem à família

Sempre muito apaixonada quando o assunto é seu marido e seus filhos, Andressa Suíta surpreendeu seus 7,1 milhões de seguidores no Instagram, no final do mês passado, ao mostrar a tatuagem que fez, para homenagear o maridão e os filhos do casal.

A loira mostrou que havia escrito a letra inicial do nome de cada um dos três, na região do ombro.

Iguaria da culinária mineira

Um prato fácil de fazer e barato que seduz qualquer mineiro, mas também encanta muita gente Brasil a fora, o frango com quiabo é originário da África. Com a evolução, ganhou toques típicos de Minas Gerais, e passou a ser praticamente uma prato típico do estado do sudeste, como uma fusão das culturas indígenas, africanas e portuguesas.

O quiabo chegou ao Brasil vindo da África. Por ser uma planta de rápido crescimento e fácil cultivo dizem que os escravos traziam suas sementes nos bolsos como uma espécie de seguro alimentar. Já as galinhas chegaram um pouco antes, vieram de carona nas caravelas de Pedro Álvares Cabral.

O legume está em Minas desde o início da ocupação da região, no final do século XVII, com a descoberta do ouro e, posteriormente, dos diamantes. Era preparado juntamente com a carne de animais ou misturado ao angu. Quando chegaram as galinhas e porcos trazidos pelos portugueses vieram, então, o frango com quiabo e a costelinha com quiabo, sempre acompanhados de angu.

Mas também poderia ter vindo dos índios e teria surgido em Minas Gerais por causa da dificuldade do estado em trazer alimentos dos grandes centros da época.

Carregar Mais Notícias