Gloria Groove comenta sobre ‘Leilão’ e compara com sucesso de ‘A Queda’

Rodolfo Magalhães

Gloria Groove é uma das artistas brasileiras que mais têm se destacado em 2021, sendo inclusive dona dos clipes publicados por uma artista pop com mais visualizações no Youtube com “A Queda” e “Bonekinha”, que contam com 50 e 41 milhões de views respectivamente.

Em meio a essa onda de sucesso, a drag queen então lançou “Leilão” na última quinta-feira, 25 de novembro, cujo videoclipe ficou disponível nesta sexta-feira, 26 de novembro, sendo mais uma vez aclamado pelo público.

O single, junto às outras canções citadas, faz parte do próximo álbum de estúdio da cantora, intitulado “Lady Leste”, que deve possuir um tom autobiográfico e explorar suas diversas facetas, com a nova canção sendo uma espécie de análise corajosa de seu sucesso.

Em coletiva de imprensa, na qual OFuxico esteve presente, Gloria Groove deu mais detalhes acerca do projeto, contando logo de cara como a canção está localizada em seu vindouro disco, que será dividido em um lado mais alegre e outro mais dark.

‘Leilão’ é a faixa 10, e ‘A Queda’ é a faixa 12, então é exatamente uma espécie de transição do que chamo do lado alegre para o lado dark. Isso é similar ao que aconteceu com ‘A Tua Voz’, em que brinquei com a ordem de lançamento. Não considero que leilão entra na parte dark ainda, mas com o filtro do Felipe Sassi, tudo vira um filme de terror (risos)”, explicou,

Em seguida, ela falou de como a letra da canção ocorre na prática de sua vida, adotando inicialmente um tom de brincadeira.

“As empresas querem Gloria Groove? Elas só querem no mês de junho (risos). Mas de fato, estão um pouquinho mais interessadas agora com o sucesso que estou tendo, e é o suficiente para dar aquele sorrisinho (risos)”, disparou.

“Já tive que dizer não na vida, ao mesmo tempo que recebi muito não. Na época de ‘Bumbum de Ouro’, uma rádio estava gostando a ideia de transmitir, até descobrir que eu era drag, e todo o preconceito estrutural que o Brasil sofre com a homofobia”, revelou a artista

Uma vez, uma marca que tinha acabado de se envolver em uma polêmica com um posicionamento ridículo em relação a uma minoria, eles me fizeram uma proposta bem grande de dinheiro, mas eu percebi que era para me usar como desculpa, então disse não, que é super necessário de acontecer”, disse.

DETALHES DA CRIAÇÃO E DO VIDEOCLIPE

“Leilão surgiu na mesa de reunião, eu a Kika e o Sammy discutindo as portas que se abriram e se fecharam. Nasceu no meu momento ‘Daniel administrador’, de como vou levar a minha carreira”, revelou a artista, mostrando que seu cotidiano também é uma inspiração constante.

Eu falei assim: ‘Ruxell, eu quero um trap de vestido do longo’, e ele entendeu muito bem, foi perfeito. Aquele violino de fundo, as misturas musicais, acho que ficou muito Gloria Groove, e deu tudo certo com o restante da criação”.

Já sobre o clipe, a pegada mais fantasiosa coma criatura que domina o local, ela surgiu do grande parceiro de gloria nos clipes atuais: Felipe Sassi.

Quando o Sassi me trouxe essa ideia, eu adorei o enredo de filme que ele trouxe. Foi muito genial ver a criatura dominando o lugar ali, algo que é da criatividade do Felipe, que eu nunca teria imaginado com o tetxo de Leilão, e ficou sensacional o resultado final”, disse.

Sobre a estética de riqueza dos visuais, ela contou: “Quando se fala de dinheiro, não tinha como não trazer uma Gloria de O Proceder, ostentadora, bem ‘caprica’, e foi assim que cheguei naquela estética de cada um dos meus looks”.

COMPARAÇÕES COM A QUEDA

Um “desafio” que “Leilão” recebeu logo em sua época de lançamento foi o de suceder “A Queda”, canção que marca a maior estreia da carreira de Gloria Groove, algo que ela e a equipe não esperavam.

“É aquela famosa coisa de competir com você mesmo, mas prefiro isso do que aquela ansiedade de me comprara com outra pessoa. Estou buscando explorar meus limites. Quando você foca em você, você descobre do que você é capaz, e estou gostando muito de descobrir meu potencial”, afirmou ela.

Sobre os lançamento terem sido próximos, Gloria garantiu: “Isso foi pensado desde o início, quando vi os produtos que eu tinha em mãos e notei que teríamos um Halloween e uma Black Friday atrás da outra, não podia perder esta oportunidade, então sempre foi proposital”.

Reforço que eu não esperava o sucesso de A Queda como foi, que seria o ponto de virada da minha carreira. Eu já planejava lançar leilão nesse intervalo de tempo, e não tinha como mudar. Eu mesma me peguei pensando nisso, que ‘A Queda’ poderia render até janeiro, mas eu já havia me planejado”.

RELAÇÕES ENTRE AS MÚSICAS

Gloria foi além na comparação, e acredita que os dois trabalhos conversam muito entre si: “Além de as duas canções fazerem uma espécie de anunciação, ambas são letras com conteúdo, com mensagem, com um clipe cheio de referências e metalinguagem, ou seja, se conversam de diversas maneiras”.

São duas faixas inclusive que fogem de uma sonoridade popular, você nem encontra uma sonoridade específica em A Queda, mas deu certo esse boom. Eu planejei tudo para ser um capítulo de uma história, mas a queda trouxe um nível que vou sofrer com meus próximos singles”.

“A Queda e Leilão são duas das músicas mais carregadas de mensagem, e elas tem um diferencial: conversam com todos, principalmente a queda. ‘A Caminhada’ foi um projeto muito grande para mim e minha equipe, mas não pegou o público, pois a mensagem era mais segmentada, algo que ‘A Queda’ já é mais geral, todos se identificaram”, falou.

PAPO SOBRE A GRAVADORA

Por conta do tema de “Leilão”, um tema que ronda os fãs de Gloria Groove veio à tona: o longo casamento entre ela e a gravadora SB Music, que é independente e não tão grande quanto uma de nome internacional. Mas ela não enxerga isso como um problema.

“Não tem como falar de ‘Leilão’ se tocar neste tema da gravadora. Já recebi muitas propostas inclusive. Mas minha história com a SB Music vem de antes da Gloria Groove, é uma história que vai pendurar. Mas estou firme no propósito de manter minha liberdade criativa, e isso sinto ter aqui. Sempre que vou fazer um trabalho, perguntam como estou me sentindo, o que quero fazer, e isso que é o importante para mim”, garantiu a cantora.

“A gravadora sempre vem para somar. Entendo que quem cresceu nos anos 1990 enxerga que a gravadora multinacional é um marco na carreira, mas a indústria mudou muito, e tenho muito orgulho de dizer que cheguei até aqui sem esse peso, mas mantendo minha liberdade criativa”, afirmou.

Dou muito valor para o que vivo na SB Music e vejo que pode somar muito mais ainda. Posso quer me envolver em algo diferente por necessidades da vida, mas sou grato pelo que tenho”.

Carregar Mais Notícias