Irmã de George Michael morre no dia de Natal, igual o cantor

Irma de George Michael morre no dia de Natal igual o cantor

Melanie Panayiotou, cabelereira, 55 anos, foi encontrada morta em sua casa no bairro de Hampstead, em Londres, na noite de Natal, 25 de dezembro. A mulher era irmã de George Michael.

Coincidências à parte. Michael morreu há exatos 3 anos, na mesma data: dia de Natal.

Quem encontrou o corpo de Melanie foi um outro irmão de Michael, Yioda.

Segundo comunicado da polícia inglesa encaminhado à imprensa internacional, foi atendido um chamado de uma equipe de paramédicos às 19h35 para fazer a ocorrência de uma morte súbita. De acordo com o texto, o caso não está sendo tratado como homicídio e somente serão dados maiores detalhes depois que o corpo de Melanie passar pela biópsia, com laudo assinado por um médico legista.

O advogado da família Michael pediu que a privacidade e o respeito à família sejam considerados neste momento.

Melanie chamava George com um apelido carinhoso, Yog e os dois eram muito apegados. Tanto que ela viajava em turnê com ele, desde a época em que ele fazia parte do grupo Wham!, na década de 80.

Em novembro passado, a cabelereira deu uma entrevista ao jornal Big Issue para falar sobre Last Christmas, filme baseado numa canção do Wham!.

“Yog adorava o Natal e teria gostado de ver Emilia Clarke nessa produção”, declarou.

Morte de George, em pleno Natal

A notícia da morte de George Michael foi confirmada em um comunicado feito pela assessora do cantor, no dia 25 de dezembro de 2016.

“É com grande tristeza que confirmamos que o nosso amado filho, irmão e amigo George morreu em paz, em casa, durante o Natal. A família pede que sua privacidade seja respeitada neste momento tão difícil. Não faremos mais comentários por enquanto", dizia o texto.

A morte de George Michael


Após mais de dois meses de investigação, finalmente foi revelado o motivo da morte de George Michael. Mesmo se especulando sobre várias causas, de acordo com a BBC, o cantor morreu de causas naturais, conforme revelou o médico legista, Darren Salter, em março de 2017.

“Uma vez que existe uma causa natural confirmada (cardiomiopatia dilatada com miocardite e fígado gorduroso), a investigação fica concluída e dispensa-se a abertura de um inquérito, ou de qualquer diligência de investigação”, disse o médico, naquela época.

Os resultados fizeram com que as investigações policiais sobre o óbito chegassem ao fim.

HIV positivo?

Fadi Fawaz acabou chamando a atenção de muita gente, ao usar o perfil oficial que possui, no Twitter, para falar de George Michael. Entre outras coisas, o ex-namorado do renomado artista, que morreu em 2016, afirmou que o cantor internacional era HIV positivo.

"George Michael era HIV+. Descobrimos em Viena depois da sua doença. Ele nunca escreveu suas próprias músicas, pagava a outras pessoas para fazer a música para ele e fingia que era ele. Ele não era tão talentoso, afinal. (...) No final, George Michael usava crack, usando uma garrafa de Evian”, chegou a escrever Fadi, afirmando que aquela página não havia sido hackeada e que era ele mesmo escrevendo sobre o assunto ali.

Fadi e o renomado artista começaram a namorar em 2012 e ficaram juntos por quatro anos, até a morte de George Michael. Foi o cabeleireiro, aliás, que encontrou o artista já sem vida, na própria casa em que morava, localizada em Oxfordshire.

Carregar Mais Notícias